Dicas
[ julho 11, 2019 by admin 0 Comments ]

Revisão de férias: o que conferir no seu carro antes de cair na estrada

Preparar seu veículo para viagens de férias não é um bicho de 7 cabeças, na verdade, armado com essas dicas você pode facilmente preparar seu carro para uma jornada rumo as férias. Por isso veja a seguir Revisão de férias: o que conferir no seu carro antes de cair na estrada!

Aqueles que negligenciam fazer uma revisão mecânica rápida, até mesmo dos carros mais novos, antes de tomar a rodovia estão implorando para ter algum imprevisto. Por isso, não deixe de fazer a sua revisão de férias!

O que conferir no seu carro antes de cair na estrada

  • Inspecione os limpadores de pára-brisa.

Limpadores de pára-brisas danificados podem reduzir a visibilidade e levar a condições de condução potencialmente perigosas, especialmente durante o tempo inclemente.

 

  • Complete a água de lavagem do para-brisa

A água de lavagem do pára-brisa ajuda os limpadores de pára-brisa a obter o melhor desempenho. Antes de cair na estrada, encha o reservatório do limpador do pára-brisa do veículo, e mantenha um galão extra armazenado em seu carro por precaução.

  • Instale os tapetes corretamente

Um tapete do condutor incorretamente instalado pode interferir com o funcionamento do pedal de freio, acelerador ou embreagem do veículo, o que pode levar a um acidente.

Para ajudar a minimizar este risco, use apenas tapetes que sejam do tamanho correto e adequados ao seu veículo, siga as instruções do fabricante para a instalação e mantenha as esteiras no lugar com grampos de retenção.

  • Calibre os pneus

A pressão adequada dos pneus ajuda a maximizar a eficiência e a estabilidade de combustível do veículo e pode reduzir o risco de um pneu furado ou uma ruptura.

Antes de chegar ao volante, verifique cada pneu e verifique se ele está cheio de acordo com a pressão de inflação recomendada pelo fabricante, especificada no manual do proprietário.

Lembre-se de que, à medida que a temperatura cai, a pressão do pneu aumenta; portanto, verifique seus pneus periodicamente durante a viagem.

  • Faróis, lanterna pisca-alertas

Caminhe em torno de seu veículo e verifique se os faróis, luzes traseiras, luzes de freio, piscas e luzes de perigo estão funcionando corretamente.

Você também vai querer ter certeza de que as luzes estão livres de detritos e ter tempo para limpá-las durante a viagem.

  • Alinhamento e Balanceamento

O alinhamento é um serviço importante e deve ser feito quando se sente dificuldades em conduzir o carro em linha reta e quando o veículo começa a puxar para um dos lados. O desgaste irregular dos pneus também é outro indício de que o veículo não está corretamente alinhado.

O balanceamento geralmente vem acompanhado do alinhamento. Não se balanceia “pneus”, mas sim o conjunto pneu e roda. A recomendação é que o alinhamento e o balanceamento sejam feitos a cada dez mil quilômetros, mesmo que o condutor não sinta nenhum comportamento anormal no automóvel.

  • Pastilhas de freio

Outro componente importante a considerar é o desgaste das pastilhas de freio.

Verifique se o seu freio de mão está funcionando corretamente e se o pedal do freio de pé está muito baixo.

  • Óleo motor

Verifique os níveis de óleo e a data de troca de óleo. Se você estiver baixo, o recomendado é completar com um lubrificante igual ao utilizado. Mas, se estiver próximo a troca, seja por tempo ou quilometragem, a melhor opção é fazer a substituição.

  • Correias de transmissão e mangueiras

Examine a correia de transmissão e veja se há rachaduras ou ressecamentos. Se a correia de transmissão estiver danificada ou desgastada, você poderá ter um desligamento total do motor.

Se você está planejando uma viagem longa, e se você andou muitos quilômetros desde o seu último serviço, agora é um bom momento para verificar as correias de transmissão e mangueiras.

Espero que você tenha aprendido tudo sobre Revisão de férias: o que conferir no seu carro antes de cair na estrada!

Mas, caso tenha ficado com alguma dúvida sobre Revisão de férias: o que conferir no seu carro antes de cair na estrada, deixe nos comentários que responderei em breve!

Se você gostou deste artigo sobre Revisão de férias: o que conferir no seu carro antes de cair na estrada, comente e compartilhe com seus amigos.

Desta forma, se você quiser saber mais pode consultar aqui e obter as informações de que precisa.

Dicas
[ outubro 9, 2018 by admin 0 Comments ]

Como escolher um amortecedor confiável?

Personagem principal do sistema de suspensão do veículo, o amortecedor, aliado a outras peças, é responsável pela segurança do carro e pelo conforto dos passageiros. Mas sempre surge a dúvida: como escolher um amortecedor confiável?

Sabemos que esse componente controla as oscilações da suspensão, reduzindo o impacto do seu movimento. Com isso, o mecanismo mantém o pneu “grudado” ao solo e proporciona equilíbrio ao veículo. Mas sempre é possível aprender mais.

Para aprofundar seus conhecimentos a respeito desse item fundamental para qualquer automóvel, continue lendo este post especial que preparamos sobre o assunto. Vamos lá?

Qual a importância do amortecedor para o funcionamento do veículo?

Neste momento, você deve estar se perguntando: por que eu preciso ler sobre isso se eu já sei? Calma! Aqui, vamos dar algumas dicas sobre como dar explicações técnicas para seu cliente sem que ele fique perdido com os termos.

Sempre que um cliente pedir um exemplo prático da importância dos amortecedores, diga que eles funcionam como um isolante de movimento. Assim, suavizam aqueles solavancos quando o carro está rodando por uma superfície esburacada ou que não seja totalmente plana.

Além disso, o amortecedor tem impacto direto na qualidade da frenagem, na realização de curvas fechadas e em alta velocidade e, até mesmo, durante a aceleração.

Outro fator importante e que deve ser explicado aos clientes: o amortecedor não trabalha sozinho. Por isso, mesmo que ele ainda esteja bom, outros componentes desgastados podem prejudicar o seu funcionamento. Aqui, estamos falando de peças como ajunta homocinética, bieletas, coxins, buchas de suspensão, entre outras partes que você já conhece.

O que um amortecedor confiável deve ter?

Vamos agora fazer um teste rápido de memória. Você sabe nos dizer quais são os componentes de um amortecedor? Listamos, a seguir, 13 deles. Dê uma olhada se você acertou:

  • guia de compressão;
  • mola de compressão;
  • retentor de compressão;
  • base de compressão;
  • cinco tipos de válvulas, incluindo as de apoio, de tração, de compressão e a válvula-S;
  • selo de vedação;
  • capa do selo;
  • mancal;
  • aparador e anel do aparador;
  • pistão e anel do pistão;
  • cilindro de reserva;
  • base de apoio;
  • porca.

Nota máxima no teste? Temos certeza que sim!

É fundamental destacar aqui que a qualidade dos componentes do amortecedor é fundamental para o seu bom funcionamento. Especialmente o selo de vedação, que talvez você conheça pelo nome de retentor — ele é importantíssimo, já que faz a vedação na parte em que a haste se desloca.

Isso é essencial porque o atrito na região deve ser o menor possível e, além disso, o selo deve suportar a pressão de dentro do amortecedor.

Como deve funcionar um bom amortecedor?

Na posição em que os amortecedores se encontram (entre o chassi e o eixo das rodas de um automóvel), eles se tornam capazes de amortecer impactos, já que absorvem as oscilações que ocorrem nessa parte do veículo.

Tipos de amortecedor

Quando se fala em funcionamento, os amortecedores podem ser divididos em dois tipos, como veremos logo abaixo.

Amortecedor hidráulico

O amortecedor hidráulico é formado pelo pistão e pelas válvulas. São fixados a uma haste que se desloca dentro de um tubo com um óleo especial, capaz de suportar altas temperaturas e pressões. A função das válvulas é regular a passagem do óleo, controlando a velocidade de deslocamento da haste.

Amortecedor pressurizado

O amortecedor pressurizado é composto pelos mesmos itens. A diferença é que o fluido é pressurizado pelo gás nitrogênio, que é adicionado ao amortecedor para evitar falhas de acionamento, mesmo nas condições mais severas.

Vale ressaltar que não existe um tipo melhor ou pior de amortecedor. Tanto o sistema hidráulico quanto o sistema pressurizado são bons, mas a aplicabilidade de cada um é diferente. Cada montadora é responsável por definir qual tipo de amortecedor o veículo fabricado por ela utilizará.

Amortecedores recondicionados

É comum que os clientes fiquem tentados a adquirir amortecedores recondicionados. Afinal, eles são mais baratos e, frequentemente, algumas pessoas costumam recomendá-los como se fossem tão bons e duráveis quanto os originais.

Porém, a verdade é que eles não são! Reforce a informação ao cliente de que um amortecedor costuma ser acionado 1 milhão de vezes a cada mil km rodados. Ele é essencial para a segurança do motorista e das demais pessoas que estão no trânsito — é preciso levar em conta que a quebra desse componente pode provocar um acidente grave, envolvendo outros veículos. Além disso, amortecedores recondicionados, estatisticamente, quebram com mais frequência do que peças novas.

Além disso, quando chegar a hora de trocar os amortecedores, a recomendação é que o cliente não fique apenas na peça principal, mas sim em todos os componentes.

Duvidas? Converse conosco